Rodrigo Baldo de Carvalho


Rodrigo Baldo de Carvalho

Contato

Idiomas

Inglês
Baixar vCard

Áreas de Atuação

Formação

  • Especialização em Direito Trabalhista corporativo – fundação Getúlio Vargas, 2012
  • Pós-graduação latu sensu – Faculdade de Direito Damásio de Jesus, 2008
  • Graduação em Direito – Universidade Paulista (UNIP), 2001

Experiências Profissionais

  • Advogado no escritório Miguel Neto Advogados – Trabalhista, desde 2010
  • Coordenador de Direito Empresarial no escritório D’Utra Vaz e Silva Advogados Associados – Contencioso e Consultivo, 2008 a 2010
  • Advogado no escritório Rolim Advogados Associados – Trabalhista, 2004 a 2008

Associações

  • Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – São Paulo,
  • Amcham Brasil – 2004
  • Camara Espanhola – 2006
  • Advogados Associados de São Paulo (AASP) – 1999

Expertise

  • Performance in the litigation (all the procedures and instances) and in the advisory, both focused solely on the Business Labor Law. Assistance to large multinational companies.
  • Elaboration of Voluntary Dismissal Programs (PDV), PLR, union negotiations, oral support before Courts and all litigation by all instances and procedures.

PRECARIZAR EMPREGO É RISCO APÓS DECISÃO DO STF

17 de setembro de 2018 | Imprensa
Especialistas explicam que o entendimento do relator, Luís Roberto Barroso, manteve nas mãos da tomadora de serviços a responsabilidade subsidiária sobre dívidas e problemas da prestadoraLeia Mais

TERCEIRIZAÇÃO ESTÁ LIBERADA EM TODAS AS ATIVIDADES

5 de setembro de 2018 | Imprensa
Empresas estão livres para contratar trabalho feito por terceirizado em qualquer função, desde que relação não envolva subordinação direta.Leia Mais

O FUNCIONÁRIO PODE DEIXAR A EMPRESA SEM PERDER OS DIREITOS TRABALHISTAS?

31 de julho de 2018 | Imprensa
Se o empregador descumprir o contrato de trabalho, o funcionário pode pedir uma rescisão indireta e receber todos os benefícios como se tivesse sido demitido pela empresaLeia Mais

EXCLUSIVO: APÓS SEIS MESES COMPLETOS DA REFORMA, PROCESSOS TRABALHISTAS CAEM 40,85%

5 de julho de 2018 | Imprensa
Após seis meses inteiros com a reforma trabalhista em vigor, completados em maio, o número de ações abertas na Justiça do Trabalho sofreu queda de 40,85% no acumulado do período, revelam dados do Tribunal.Leia Mais

INSEGURANÇA JURÍDICA TRAVA IMPULSO DA REFORMA TRABALHISTA NO EMPREGO

15 de maio de 2018 | Imprensa
Demanda antiga da classe empresarial e um dos principais argumentos do governo de Michel Temer na defesa da Reforma Trabalhista implementada em 11 de novembro, o aumento da segurança jurídica nas relações de trabalho é um dos objetivos da nova legislação que ainda não foi completamente [...]Leia Mais

JUSTIÇA MANTÉM CONTRIBUIÇÃO SINDICAL EXTINTA PELA REFORMA TRABALHISTA

23 de abril de 2018 | Imprensa
Sindicatos já conseguiram 123 liminares para manter sua principal fonte de financiamento; algumas decisões foram derrubadas em segunda e terceira instâncias, mas ao menos uma empresa não recorreu e vai descontar o imposto dos funcionáriosLeia Mais

UM ANO DA LEI DA TERCEIRIZAÇÃO

9 de abril de 2018 | Imprensa
Rodrigo Baldo, advogado da área Trabalhista do escritório, foi entrevistado pela Rádio Justiça.Leia Mais

TERCEIRIZAÇÃO: EMPRESAS MANTÊM CAUTELA EM RELAÇÃO À NOVA FORMA DE CONTRATOS

2 de abril de 2018 | Imprensa
Empresas mantêm cautela em relação à nova forma de contratação de empregados, à espera de decisão do STF sobre a constitucionalidade da legislação, que completou um ano de vigência neste mêsLeia Mais

ADVOGADO EXPLICA O QUE É UM CONTRATO INTERMITENTE DE TRABALHO

10 de janeiro de 2018 | Imprensa
A reforma trabalhista entrou em vigor no sábado, dia 11 de novembro.Leia Mais

SAIBA QUEM TEM DIREITO AO 13° E O QUE PODE MUDAR APÓS A REFORMA TRABALHISTA

22 de novembro de 2017 | Imprensa
Todo trabalhador contratado com carteira assinada tem o direito a receber o 13° salário.Leia Mais

EMPRESAS TEMEM APLICAR REFORMA POR RESISTÊNCIA DOS JUÍZES DO TRABALHO

8 de novembro de 2017 | Imprensa
As empresas precisam decidir nos próximos dias se vão aplicar as medidas de reforma trabalhista ou se vão esperar pela pacificação da jurisprudência, segundo especialistas.Leia Mais